PLANO ESTRATÉGICO

De acordo com o Plano Estratégico definido para 2019-2022 (acessível aqui), o NI3SM pretende:

  • Promover e incentivar a investigação tendo por base os objetivos da ESSSM, criando linhas de investigação sobre problemáticas emergentes nas ciências da vida e da saúde;
  • Contribuir para o aperfeiçoamento das competências dos colaboradores da ESSSM e para a promoção de pensamento crítico dos estudantes, fomentando a prática baseada na evidência;
  • Promover a consolidação das equipas de investigação, contrariando lógicas de fragmentação e assegurando a massa crítica;
  • Desenvolver atividades de reflexão técnico-científica junto da comunidade académica;
  • Fomentar o intercâmbio e cooperação científica com outras instituições;
  • Estimular a inserção da ESSSM em redes de investigação internacionais;
  • Assegurar e apoiar a divulgação dos resultados de investigação;
  • Projetar a ESSSM como referência nacional e internacional na área da investigação em ciências da saúde.

EIXOS ESTRATÉGICOS

Com o intuito de dar resposta aos objetivos propostos acima, definiram-se os seguintes eixos estratégicos:

A. Linhas de investigação: desenvolvimento de investigação científica no âmbito do envelhecimento ativo e saudável, dos cuidadores, responsabilidade social, inovação e tecnologia, ensino-aprendizagem, e outras linhas que sejam propostas e consideradas pertinentes e com enquadramento, no âmbito da missão, visão e valores desta unidade e do plano estratégico do ESSSM.

B. Inovação e transferência de conhecimento: desenvolvimento de atividades de reflexão técnico-científica e de divulgação do conhecimento.

C. Ambientes potenciadores de investigação: promoção de um ambiente criativo, inter e multidisciplinar, onde possam surgir novas ideias e onde os investigadores encontrem condições adequadas à realização de projetos científicos direcionados para os desafios societais.


A. LINHAS DE INVESTIGAÇÃO

A.1. Envelhecimento ativo e saudável

Nesta área pretende-se quebrar com a tendência de encarar o envelhecimento como algo relativo à população idosa, mas sim abordar a questão a partir da sua génese, nomeadamente desde a conceção do indivíduo, numa perspetiva holística de otimização da saúde, desde o período prévio à instalação de hábitos promotores de disfunção/doença. Projetos de inovação e desenvolvimento tecnológico serão enquadráveis nesta linha.

 

A.2. Cuidadores de indivíduos vulneráveis ou portadores de doenças crónicas

Nesta área pretende-se dar enfoque à identificação de necessidades de indivíduos vulneráveis ou portadores de doenças crónicas e dos respetivos cuidadores, com o intuito de potenciar a qualidade dos cuidados prestados assim como promover uma melhor qualidade de vida dos cuidadores.

 

A.3. Responsabilidade Social

 

A.4. Ensino-Aprendizagem.


B. INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTO

B.1. Organização de tertúlias científicas

Com esta ação tem-se o intuito de organizar tertúlias periódicas de carácter reflexivo técnico-científico junto da comunidade académica, incutindo um pensamento crítico na área das ciências da vida e da saúde.

B.2. Criação de um repositório ou periódico científico do tipo revista científica

Com esta ação pretende-se criar um repositório ou periódico científico online, de acesso livre, na área das ciências da vida e da saúde. Para tal, propõe-se o estabelecimento de parcerias com outras Escolas Superiores de Saúde, quer públicas quer privadas, para a viabilização do projeto.

B.3. Organização de encontros científicos nacionais e internacionais

Com esta ação pretende-se fomentar a organização de eventos científicos na área das ciências da vida e da saúde, de âmbito nacional e internacional, projetando a imagem da ESSSM e facilitando o intercâmbio e partilha de experiências e conhecimento.

B.4. Programa de apoio à publicação e comunicações de natureza científica

Com esta ação pretende-se definir um programa para dar suporte financeiro à divulgação dos dados resultantes da investigação do NI3SM através de publicações e/ou comunicações em eventos nacionais e/ou internacionais com relevância na área.


C. AMBIENTES POTENCIADORES DE INVESTIGAÇÃO

C.1. Comunidades de Impacto ESSSM

O projeto Comunidades de Impacto — ESSSM é uma iniciativa da MEERU | Abrir Caminho, que será implementada na ESSSM, com o objetivo de, através da sensibilização, educação e intervenção, desenvolver Comunidades que testemunham a nossa Humanidade Comum. O Comunidades de Impacto — ESSSM encontra-se alinhado com o Plano Estratégico da Escola, que realça a importância de contribuir para a formação de profissionais que respondam às necessidades de sociedades em constante evolução e o interesse em desenvolver projetos sociais com relevância, impacto e potencial inovador. Colocando no centro do processo de aprendizagem os aprendentes, envolvendo não só estudantes, mas também docentes e pessoal de administração e serviços, o projeto pretende potenciar uma relação de proximidade entre todos os que habitam a comunidade escolar e inspirar a encontros fora dela. O Comunidades de Impacto — ESSSM orienta-se por uma base temática comum: o Diálogo Intercultural. Assim sendo, e tendo em conta os valores base: Dignidade, Diversidade, Humanidade Comum, Diálogo Intercultural e Tolerância, o projeto tem como temas transversais Interculturalidade, Direitos Humanos e Cidadania, Literacia para os Media, Competências Socioemocionais e Questões de Género. Em sete atividades, ao longo do ano letivo de 2019/2020, propõe-se desenvolver nos participantes competências consideradas fundamentais pela ESSSM, como a autonomia, a responsabilidade, o pensamento crítico, a criatividade e a capacidade relacional, ao lançar-lhes o desafio de se abrirem ao mundo e potenciarem a sua ação enquanto agentes de mudança. O Comunidades de Impacto — ESSSM visa, assim, contribuir para que a Escola consiga estimular os estudantes, em particular, a desenvolver, de raiz, projetos com interesse e impacto social. A Núcleo de Investigação irá realizar a avaliação final do programa, tendo em consideração a satisfação dos participantes e o impacto dos projetos desenvolvidos na própria comunidade. Para tal recorrerá a questionários e focus group.

 

C.2. Programa de Mentoria

Desenvolvimento de um programa de mentoria interpares, com estudantes dos cursos de licenciatura em Enfermagem e Fisioterapia e do CTEsp em Gerontologia e Cuidados de Longa Duração, no sentido de promover uma melhor integração dos estudantes no ensino superior, aumentar os níveis de bem-estar e satisfação e promover o sucesso académico, prevenindo, desta forma, o abandono escolar; promover e desenvolver competências pessoais e sociais dos estudantes que integrem o programa, tanto mentores, como mentees. O programa de mentoria da ESSSM não interfere com os conteúdos e os objetivos das Unidades Curriculares dos diferentes cursos, devendo ser visto como um complemento ao processo de ensino-aprendizagem. Tem como objetivos: apoiar os novos estudantes na transição para o Ensino Superior; promover o bem-estar pessoal e sentimento de pertença à ESSSM; promover competências de desenvolvimento pessoal e social dos estudantes; promover o sucesso académico, prevenindo o abandono do (s) curso (s) por motivos de insucesso e/ou dificuldades de adaptação; potenciar a valorização e diferenciação dos estudantes no mercado de trabalho; promover o desenvolvimento global dos estudantes e  promover dinâmicas de convívio e partilha de experiências. A Núcleo de Investigação irá realizar a avaliação final do programa, tendo em consideração a satisfação dos participantes e o impacto das ações desenvolvidas, através de questionários e focus group.


IMPLEMENTAÇÃO, ACOMPANHAMENTO, MONITORIZAÇÃO E AVALIAÇÃO

A implementação das atividades previstas nos eixos estratégicos definidos carece de aprovação do CD da ESSSM. Para garantir a implementação e execução dos diferentes projetos/atividades, será necessário estipular um Investigador/Responsável principal pela mesma, bem como a equipa. O acompanhamento e monitorização dos projetos e atividades serão realizados pela coordenação do núcleo, com o apoio de um gestor de projetos, a definir pelo CD, sendo necessário o desenvolvimento de uma matriz de indicadores e a realização de um relatório.