Registo n.º R/A-Ef 52/2012 de 08-05-2012

Processo nº PERA/1718/0027821 de 08-05-2019
Acreditação pela A3ES, por 4 anos, em 08-05-2019.

Provas de ingresso
02 Biologia e Geologia (B)

Classificações mínima
Nota de Candidatura 95 pontos | Provas de Ingresso 95 pontos
Fórmula de Cálculo: Média de Secundário 65% + Provas de Ingresso 35%

Duração:
4 anos curriculares | 8 semestres |
240 ECTS

Vagas:
Regime Geral: 80
Regimes Especiais:

  • Reingresso e Mudança Par Instituição/Curso: 3
  • Titulares de Outros Cursos Superiores: 4
  • Maiores de 23 anos: 6
  • Titulares de um Diploma Técnico Superior Profissional: 3

Regime:
Laboral

Saídas profissionais:
Comunidade | Hospitais | Clínicas
Investigação | Modelos de negócios empreendedores |
Unidades hospitalares públicas e privadas | Clínicas privadas |
Centros de Saúde | Unidades de Cuidados Continuados |
Centros Desportivos | Instituições de apoio a idosos |
Escolas e instituições de ensino


COORDENAÇÃO

 NOMECONTACTOCURRICULUM VITAE
Goreti Marquescoordenação.enfermagem@santamariasaude.pt

OBJETIVOS GERAIS DO CICLO DE ESTUDOS

A Licenciatura em Enfermagem tem a duração de 4 anos, correspondendo cada ano a 60 ECTS, num total de 240 ECTS, tendo como missão “assegurar a formação científica, técnica, humana e cultural para a prestação e gestão de cuidados de enfermagem gerais à pessoa ao longo do ciclo vital, à família, grupos e comunidade, nos diferentes níveis de prevenção” (Artº 5º do Decreto-Lei nº 353/99 de 3 de Setembro, p.6199).

  • Formar profissionais altamente qualificados, com preparação científica, técnica, pedagógica e cultural, capazes de responderem às necessidades de saúde dos indivíduos e das populações;
  • Desenvolver um sólido conjunto de competências/conhecimentos e habilidades que lhes garantam a máxima qualidade na execução dos cuidados de enfermagem que prestam;
  • Dar resposta às necessidades da comunidade quer relativamente aos cuidados físicos, quer psicológicos, sociais ou espirituais, garantindo, deste modo, o respeito pela visão holística do outro.
  • Promover o intercâmbio cultural, científico e técnico com outras instituições, quer públicas, quer privadas, nacionais ou estrangeiras, que visem objetivos semelhantes com vista a um mútuo enriquecimento.
  • Responder aos reptos contemporâneos associados à necessidade de empreendedorismo na enfermagem e na saúde.
  • Promover o domínio de uma 2ª língua que associado às competências já enunciadas e numa perspetiva de empoderamento, facilitará a integração em diferentes mercados laborais respondendo assim aos desafios da globalização.

OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

Ao longo dos oito semestres o estudante deverá adquirir competências instrumentais, sistémicas e interpessoais que se podem esquematizar da seguinte forma:

  • Desenvolver competências no domínio dos princípios éticos e deontológicos da profissão, bem como no domínio dos princípios humanistas de respeito pelos valores, costumes e religiões do indivíduo/família, promovendo a cidadania, a equidade e os cuidados culturalmente adaptados;
  • Criar competências comunicacionais, de forma a desenvolver relações terapêuticas com o cliente/família, em relação com o ambiente e em contexto comunitário; comunicar com consistência a informação relevante; comunicar eficazmente na equipa multidisciplinar.
  • Transmitir conhecimentos científicos e técnicos que permitam planear ações de educação para a saúde possibilitando ao indivíduo/família a adoção de estratégias adequadas ao seu problema; prestar cuidados de enfermagem ao cliente/família, em diversos contextos, numa perspetiva holística, segundo o ciclo de vida em que se encontra;
  • Desenvolver o domínio de técnicas de enfermagem adequadas na promoção, manutenção e recuperação da saúde do indivíduo/família;
  • Desenvolver competências para participar na gestão dos serviços, controlo e garantia da qualidade nos cuidados de enfermagem, sabendo avaliar os resultados dos indicadores de saúde e determinar as soluções possíveis;
  • Desenvolver competências no âmbito da conceção, desenho e implementação e interpretação dos resultados de projetos de estudo, investigação e formação, no âmbito das ciências em enfermagem, que sejam relevantes para a prática e desenvolvimento profissional, assegurando a transmissão de conhecimentos atualizados aos profissionais e à comunidade científica.

PLANO DE ESTUDOS

Pode ser consultado também a partir do Diário da República, aqui.


RELATÓRIOS DE ATIVIDADES

Relatório de Análise dos Resultados da Avaliação 2018-2019 (1.º semestre) | Download

Relatório de Análise dos Resultados da Avaliação 2017-2018 (2.º semestre) | Download


INFORMAÇÕES ADICIONAIS


Sendo enfermeira mas tendo estado seis anos a exercer outras funções senti a necessidade de atualizar os meus conhecimentos teórico práticos. Tendo abordado várias escolas, apenas a Escola Superior de Enfermagem de Santa Maria me respondeu positivamente tendo-me propiciado um programa de reciclagem ajustado às minhas necessidades.
Desde o primeiro contacto senti um ambiente de grande acolhimento e disponibilidade para ser desenhado um programa de formação ajustado às minhas necessidades. A experiência foi extraordinária com um resultado positivo no alcance pleno dos objetivos inicialmente delineados. As minhas competências em enfermagem foram recalcificadas com o estágio em ambiente hospitalar (Hospital de Santa Maria (Porto), o que me permitiu readquirir a segurança e autonomia no pensar e agir em Enfermagem.

Porque ser enfermeiro, é a arte de saber cuidar do doente, em qualquer fase da sua vida, é estar atento as suas necessidades e saber intervir assertivamente. É agir moralmente e eticamente com base na ciência, respeitar o doente numa visão holística.
Consegui e isso foi muito importante para mim, para a minha realização pessoal e profissional. A Escola de Enfermagem de Santa Maria permitiu que eu voltasse a sentir-me enfermeira, e deu-me as asas impulsionadoras para um futuro na área. Ajudou a redescobrir a minha vocação e a paixão de estar junto dos doentes numa equipa multidisciplinar.
Sendo assim, quero agradecer à Escola Superior de Enfermagem de Santa Maria, ao conselho de direção e ao corpo docente envolvido, pela recetividade em todo o projeto por mim proposto. Aproveito adicionalmente, divulgar tal experiência a outros colegas que se encontram em igual circunstancia.

Rita Madureira

Alumni

A entrada no ensino superior é sempre um desafio para cada aluno. É uma transferência de um “mundinho” para o “mundo”.
Entrar em enfermagem já é um ato de coragem, entrar numa das escolas superiores mais conceituadas a nível nacional é um ato de coragem com uma responsabilidade acrescida.
Quando penso no meu percurso ao longo destes 4 anos lembro-me na felicidade que foi entrar na Escola Superior de Enfermagem de Santa Maria e no esforço a cada etapa. Pois, no fundo ser aluno de enfermagem é um orgulho mas não é nada fácil.
Definiria o meu percurso académico nesta escola em 10 palavras: exigência; compreensão; apoio; ensino; rigor; postura; brio; investigação; descoberta e partilha.
No fundo o que a escola nos ensina não é a ser enfermeiros mas sim a saber ser enfermeiros. E isso é que marca a diferença de um enfermeiro e de um enfermeiro de excelência, pois quem sabe ser irá realizar as tarefas com outro prestígio e outro rigor de quem somente o é.
Enfermeiros? Existem muitos. Bons, maus e intermédios. Enfermeiros formados segundo os moldes de Enfermagem de Santa Maria? Acredito que sabem ser enfermeiros, que são bons naquilo que fazem.
Em suma, a Escola Superior de Enfermagem de Santa Maria preza pelo conhecimento científico, o conhecimento prático e pelo saber ser, formando, assim, enfermeiros de excelência.

Luísa Vale

Alumni

sg-popup-id-8958 sg-popup-id-8940 sg-popup-id-7330 sg-popup-id-7943