A 17 de maio comemora-se o Dia Mundial da Hipertensão Arterial. A data foi instituída e é apoiada internacionalmente pela World Hypertension League (Liga Mundial de Hipertensão). O objetivo é divulgar a importância da prevenção, da deteção e do tratamento da hipertensão.

 A hipertensão é a principal causa de doença cardiovascular e de morte prematura em todo o mundo, sendo que 40% da população portuguesa é hipertensa.

 A tensão arterial resulta da pressão que o sangue exerce sobre as paredes das artérias. Vários fatores, de cariz genético ou ambiental, contribuem para o aumento da tensão, podendo culminar em hipertensão arterial.

A hipertensão arterial potência o risco de ataques cardíacos, derrames cardiovasculares e insuficiência renal. Pode ainda causar cegueira, irregularidades do ritmo cardíaco e insuficiência cardíaca. O risco de desenvolver estas complicações é maior na presença de outros fatores de risco cardiovasculares, tais como a diabetes. No mundo, um em cada três adultos tem hipertensão arterial.

No entanto, a pressão arterial elevada pode ser prevenida e tratada. O risco de desenvolvimento de hipertensão arterial pode ser reduzido de várias formas: hipertensão ou pressão arterial elevada é uma doença crónica, que pode ser reversível, desde que se adotem hábitos de vida saudáveis:

  • Reduzir a ingestão de sal;
  • Optar por uma dieta equilibrada;
  • Evitar o uso nocivo do álcool;
  • Praticar atividade física de forma regular;
  • Manter um peso corporal saudável;
  • Evitar o uso de tabaco.

 Importante: Até ao momento, não há evidência que comprove que pessoas hipertensas tenham um risco maior de doença grave pela COVID-19 em relação a pessoas que não possuem hipertensão – a proporção de indivíduos hipertensos entre os pacientes com COVID-19 não é superior à da população geral da mesma idade. Há que manter os cuidados e recomendações gerais da DGS e as seguintes recomendações especificas da Liga Mundial de Hipertensão:

Recomendações Específicas para Pessoas com Hipertensão

  • Continue tomando a sua medicação conforme prescrição médica.
  • Se possível, meça sua pressão arterial em casa. É possível que ela esteja mais baixa do que o habitual, mas não altere doses ou suspenda medicações sem antes discutir com o seu médico. Lembre-se: pressão baixa pode ser decorrente de desidratação.
  • Mantenha-se hidratado. Muitas pessoas, especialmente os idosos, não ingerem uma quantidade adequada de líquidos. Crie uma rotina para garantir uma ingestão regular de água ou líquidos ao longo do dia.
  • Atividade física: pela maior permanência dentro de casa para reduzir a exposição ao vírus, muitos de nós vamos acabar realizando menos atividade física. Se possível, procure formas de exercitar-se e manter-se ativo dentro de casa. Outra opção: sair para caminhadas próximas do local de residência, sempre respeitando o distanciamento social, é uma forma saudável de manter uma boa saúde física e mental em tempos difíceis.

Veja aqui as Orientações COVID-19 para portadores de Hipertensão Arterial elaborado pela Liga Mundial de Hipertensão.